Sobre

“Alguém que busca o retrato fiel ao real, sem perder a fantasia. É o que evoca o olho da câmera desta mulher.
A maneira com que Érica Böhmer maneja a foto se assemelha ao poeta e sua palavra: nem sempre é ele o criador, se não o verdadeiro mensageiro de algo que precisa ser lido/visto.
Inspirada em detalhes que podem passar despercebidos por muitos, Érica Böhmer dança por meio das lentes, e não se exclui daquilo que retrata.
Ao registrar o outro, seja ele de concreto, humano ou animal, percebemos a rima criada entre um iluminar, um colorir, um destacar. Elementos que formam a melodia anunciada pela maestra fotográfica.
Desnudar o antigo e conciliar a tradição com novos paradigmas é tarefa que torna impossível conferir a fotógrafa clichês estéticos de sempre.
Da rotina, vêem-se traços de uma primeira vez.
Dos casais, o amor íntimo, pouco falado. O amor que é moderno pela pretensão em se revelar instantaneamente, mas também velho, como há muitos anos, de mãos dadas num portão.
Dos corpos, uma indecência que não perde a elegância, e em meio a uma sensualidade que transborda o sagrado exaltado no olhar, por uma força interior desconhecida para muitas, as semi-deusas, ou divinas, e os belos homens de braços carnais confundidos com anjos caídos.
A pretensão é eternizar o olhar da debutante, que pode seguir por anos o mesmo, ainda que com rugas ao redor.
Tudo isso podemos vislumbrar, por meio de suas imagens.
Mas não são fotos montadas, tampouco belas porque sorriem para a foto.
O que Érica Böhmer registra nas lentes foi feito mais para sentir do que para ver.
É o olhar protagônico em busca esquecido, por isso, um olhar sensível, de uma mulher, mãe, artista, e não fotógrafa apenas. “

Clarissa Vargas – Jornalista.

“As fotografias vão além da visão observada; vão a lugares aos quais o olhar de quem vive ou presencia determinado momento não poderia chegar. São como a presença sutil de um espectador invisível, buscando os infinitos ângulos de um acontecimento para além de apenas formas, cores e luz… Na delicadeza de suas lentes é captada a essência da imagem, que se torna mais, como uma mescla de composições traduzidas em Arte. É possível ouvir sons, sentir cheiros, tatear sem tocar… Apreendem, num instante, a eternidade palpável e ao mesmo tempo tão efêmera de algo que se transforma em imagem estática, mas não estanque. Buscando novos olhares sobre uma mesma cena e posturas diversas para sua observação, sua principal característica é permitir que a imagem aconteça de forma espontânea em toda beleza de sua natureza, deixando que a eternidade aconteça sem interferência por acreditar na sua capacidade de concretização… Captando, assim, a profundidade de seus significados. Sensibilidade seria, por fim, a definição de suas fotos em uma palavra que, em si, já é cheia de interpretações… Como as fotos de Érica Böhmer.”

Raquel Capucci Jornalista.

“Por trás das lentes da alma, a Fotógrafa gaúcha Érica Bohmer consegue transformar qualquer momento em essência. São momentos mágicos e únicos. O resultado é lindo e primoroso.
E nesse cuidado, ela consegue captar dentro de cada um a beleza que brota e se expõe sem disfarces. Sorrisos, lágrimas, emoção. Felicidade. Por que é esse o bem comum. Transportar ao outro isso. Felicidade, satisfação, prazer. E graças ao seu trabalho perfeito, o que vemos é de fazer o coração vibrar e se emocionar.
Imagens lindas e transparentes. Tiradas através desse olhar perspicaz que já nasceu para admirar, sentir. Descobrir e (re)descobrir instantes, pessoas, lugares. E tudo que denote vida. O resultado, torna-se fascinante.
Costumo dizer que Deus nos dá o dom. E através dele colocamos nossa alma, nossa satisfação pessoal. Nosso verdadeiro sentido de estar aqui, fazendo o que se ama.
Assim, ela é. Com suavidade, beleza, naturalidade e talento, exerce esse fascínio sobre as coisas que cria e se identifica. Na simples e mais absoluta originalidade de ser.
Sou fã do seu trabalho e a admiro.
Vale a pena conhecer. É encantador, inspirador e o mais importante: Feito com amor.” 

Sil Guidorizzi – Escritora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.